// elergone custom
Rotulagem de Energia - Elergone Energia
17304
page,page-id-17304,page-template,page-template-full_width-php,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-5.6,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.4,vc_responsive

ROTULAGEM DE ENERGIA

De onde vem a nossa energia?

A promoção da sustentabilidade ambiental associada ao consumo de energia elétrica é uma responsabilidade de todos os intervenientes do processo. Para poder utilizar a energia de forma consciente, é essencial conhecermos a sua origem.

electricity_2

Mix Elergone 2019 3º Trimestre (%)

chart_mix_producao_2019_3_trimestre

FATORES DE EMISSÃO 2018

CO2 – 284,84 g/kWh

Evolução Mix Genérico Elergone

chart_evolucao_mix_2
anna-jimenez-calaf-37305

Impacte Ambiental

O consumo de energia elétrica tem ganho relevância face a outras formas de energia uma vez que é uma das mais fáceis de produzir através de fontes renováveis.

A produção de eletricidade recorrendo a energias fósseis (gás natural, carvão, diesel e fuel), tendo estas de ser extraídas, transportadas, processadas e, na maior parte das vezes, produzidas em larga escala, produz um grande impacto ambiental negativo, local e globalmente. Contribuem para a poluição do ar através da emissão de CO2, óxido de azoto ou enxofre, juntamente com partículas em suspensão e metais pesados, com impacto no aquecimento global e no aparecimento de chuvas ácidas, degradação do solo, degradação de zonas costeiras e ecossistemas marinhos, extinção das reservas existentes, intrusão visual e ruído.

No que diz respeito à utilização de resíduos sólidos urbanos (RSU), as emissões atmosféricas e ruído relacionados com a sua recolha e transporte e as emissões de CO2 durante o processo de incineração são os principais impactos. A energia elétrica por via nuclear (importada de Espanha), contribui para a poluição térmica e radioativa das águas de refrigeração, a perda de biodiversidade, degradação do solo e a produção de resíduos radioativos.

A utilização de fontes renováveis (hídrica, solar, eólica, entre outras), contribui fortemente para a redução das emissões de CO2 e permite, em alguns casos, que a produção ou aproveitamento da energia seja feita localmente, junto do consumidor, evitando investimentos em infraestruturas de transporte e as perdas daí resultantes. Contudo, também esta forma de produção pode ter um impacto negativo na paisagem (Solar – ocupação de áreas extensas), na fauna e na flora local, quer pela criação de sombras, quer por ruídos e alteração dos ecossistemas (Eólica), desvio do caudal dos rios (Hídrica), destruição total da vegetação (Biomassa), alteração de processos de erosão costeira e ecossistemas marinhos (Ondas e Maremotriz), entre outros. Existe uma forte preocupação na redução destes impactos, recorrendo a estudos de forma a apurar os locais e projetos onde o impacto seja menor.”

Logo-ERSE

Para informação sobre os métodos e fontes de calculo Visitar Página da ERSE